Se você tem um site ou um blog, então muito provavelmente você já ouviu falar pelo menos um pouco sobre SEO. Talvez algumas técnicas de otimizações de site também, não é mesmo? A mídia que nasceu anos atrás junto com os primeiros sites de busca, como Google e Yahoo!, se aperfeiçoou ao longo do tempo e se mostrou mais do que necessária para os dias de hoje. De lá pra cá, muito já foi construído, especulado, discutido, testado e aperfeiçoado a respeito do tema. (Para mais informações históricas a respeito do assunto leia o post sobre a história do SEO.)

Dito isso, abaixo você encontrará um material bastante esclarecedor a respeito de otimizações de site. Gostando, não esqueça de compartilhar o Guia Sobre SEO na sua rede social preferida e vamos lá! 🙂

O que é SEO?

Fonte: meme de internet

Fonte: meme de internet

A sigla SEO (que se pronuncia: éssi-í-ôu) vem das palavras em inglês Search Engine Optimization. Vamos aproveitar o momento para consultar duas fontes a respeito do tema.

Se buscarmos pelo termo na Wikipédia, encontramos a seguinte definição:

Fonte: Wikipedia

Fonte: Wikipedia

“Otimização de Sites (otimização para motores de pesquisa (português europeu) ou otimização para mecanismos de busca (português brasileiro) é o conjunto de estratégias com o objetivo de potencializar e melhorar o posicionamento de um site nas páginas de resultados naturais (orgânicos) nos sites de busca gerando conversões, sejam elas, um lead, uma compra, um envio de formulário, agendamento de consulta e outros.” – Wikipédia

Mas se pudéssemos consultar um especialista no assunto, alguém com uma vasta experiência no mercado de marketing digital, internacional, essa pessoa provavelmente diria algo mais ou menos assim:

Fonte: Moz

Fonte: Moz

“SEO é a prática de aumentar a quantidade e a qualidade do tráfego de um site através dos resultados orgânicos em motores de busca.” – Rand Fishkin, Moz

Quantidade de Visitas + Qualidade do Tráfego + Objetivos =  SEO. Somado a isso tudo, o resultado de uma busca orgânica deve atender a real necessidade por trás da pesquisa de um usuário. É para isso que o Google se atualiza constantemente. O foco da empresa está em atender o usuário da melhor maneira possível, sem deixar de lado a rapidez e qualidade na entrega do resultado. Para isso, quando falamos em otimizações de site, não podemos deixar de lado o acompanhamento de métricas e relatórios sazonais. Quem investe em melhorar os resultados orgânicos de um site está buscando aperfeiçoar também uma ou mais de suas métricas: rankings, visualizações de página, tempo médio no site, taxa de rejeição, leads, receita, entre outras.

Basicamente, no Google existem dois tipos de resultados: pagos e orgânicos. Os resultados pagos estão facilmente localizados no topo e as vezes a direita da página. Os resultados orgânicos aparecem abaixo e são exibidos sempre abaixo de uma lista ou vitrine de resultados pagos. Abaixo uma imagem de como os resultados são exibidos no Google:

Resumo SERP Google: Pago vs Orgânico

Fonte: Moz

E como o Google rastreia os sites na internet?

O Google utiliza um robô muito inteligente para encontrar páginas na internet e rastrear assim os conteúdos que estão publicados nelas. Ao invés de descrever o processo de como este caminho se dá, aqui vai um vídeo do Matt Cutts explicando como a ferramenta funciona por “baixo dos panos”. Para quem não o conhece, Sr. Cutts é ex-engenheiro do time de qualidade do Google e por muitos anos foi o responsável por comunicados oficiais da empresa. Ele tem muita propriedade no assunto. Assiste aí que vale muito.

Quais os principais fatores de rankeamento considerados pelo Google?

Sabemos hoje que são mais de 200 fatores de rankeamento que o Google utiliza ou leva em consideração na hora de exibir uma lista de resultados de busca orgânica. Alguns contam com maiores forças e agregam mais para consolidar um bom resultado, outros nem tanto. Conforme uma pesquisa publicada pela Moz tempos atrás, os principais atributos que o Google considera na hora de rankear uma página correspondem a estes daqui:

Fonte: Moz

Fonte: Moz

  • 20,94% >>> Autoridade de Domínio: quantidade de links apontando para o domínio do site, confiança/qualidade destes links, PageRank, etc…
  • 19,15% >>> Autoridade de Página: PageRank, TrustRank, quantidade de links apontando para a página do site, distribuição de texto âncora, qualidade dos links, etc…
  • 14,94% >>> Palavras-Chave de Qualidade e Features de Conteúdo: conteúdo de qualidade, conteúdo útil para o usuário, se conta com conteúdos complementares como imagem e vídeo, recursos de infográficos, etc…
  • 9,8% >>> Propriedades do Conteúdo (Cauda Longa do Texto): quantidade de palavras na página, originalidade da publicação, tempo de carregamento, etc…
  • 8,59% >>> Força de Marca: quanto a marca é conhecida no offline, menções de marca, mídia online e offline, etc…
  • 8,06% >>> Dados de Navegação do Usuário: CTR, cliques, usabilidade, etc…
  • 7,24% >>> Métricas Sociais: quantidade e qualidade interações sociais, tweets, +1, likes, compartilhamentos, comentários, etc…
  • 6,98% >>> Palavras-Chave no Domínio: uso de uma palavra-chave exata do nicho do negócio dentro da raiz do domínio, ex: meunicho.com, etc…
  • 5,21% >>> Tecnologia em Geral: tempo de resposta de cabeçalho HTTP, TLD, resposta da plataforma, resposta do servidor, código limpo e bem escrito, etc…

O que é PageRank e como a autoridade de página funciona para o Google?

Fonte: Google

Fonte: Google

O nome PageRank (ou simplesmente PR) é usado pelo Google para ajudar a determinar um valor de relevância de uma página. A métrica foi desenvolvida pelos fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, enquanto ainda estudavam na universidade de Stanford, lá em 1998.

Na prática, a ideia do PageRank é atribuir uma nota a cada página indexada no buscador, tendo como referência a quantidade e a qualidade de “elos” (links) que cada uma recebe. Os valores variam de 0 a 10, sendo PR=10 o próprio site do Google (US), portanto a maior nota em autoridade, e 0 a pior nota. Em resumo, quanto mais alto for o PageRank maior são as chances deste site ter suas páginas bem posicionadas nos resultados de busca da ferramenta.

Trabalhar a autoridade/reputação de um domínio ou de uma página através de marketing digital funciona através de links. Será preciso criar uma importante rede de links internos (apontamentos de links de um site para ele mesmo) e outra de links externos (apontamentos de links de outros sites para um site determinado). A linkagem interna funciona mais para distribuir a força entre as páginas de um site. Já a linkagem externa contribui significativamente para a construção de autoridade de qualquer site, já que um link funciona como um elo de reputação entre sites.

Ao passar dos anos o valor do PageRank de uma página passou a ser cada vez menos atualizado pelo Google. O surgimento de outras ferramentas e empresas com propostas mais interessantes se mostrou mais importante. Mas o conceito de distribuição de força entre páginas se mantém o mesmo. Assista ao vídeo a seguir e entenda como funciona essa distribuição de força entre links.

Os 4 pilares do SEO

Gosto de visualizar os projetos de SEO através de 4 pilares: tecnologia, conteúdo, autoridade e experiência. Acredito que através desta metodologia conseguimos prever, acompanhar e publicar atualizações que abrangem todos os quesitos de um site, tanto de dentro dele como de fora.

Os 4 pilares do SEO precisam estar harmonizados entre si para garantir o melhor rankeamento de uma página no Google. Veja como que cada um deles se propõem em atender cada fase de contato entre site e visitante. Confira a descrição detalhada de cada pilar!

Os 4 Pilares do Seo

Fonte: SONDABUNKER

1. Tecnologia: a plataforma é a base de um site

Investir esforços tanto em atualizações de plataforma como no próprio código da página ajudará muito o SEO do seu site. São otimizações como estas que deixam o site mais fácil de ser rastreado e indexado pelo Google. Foque em manter o código HTML limpo e o mais estruturado possível, com uso de URL’s amigáveis (palavras-chave ao invés de parâmetros), garantir a entrega dos status HTTP das páginas (200, 301, 302, 404, 501, 503…), arquivos Sitemaps.XML e Robots.txt atualizados, respostas de servidor, tempo de carregamento da página e outras coisas mais.

Trabalhar o pilar de Tecnologia é…

  • Manter a sua plataforma sempre atualizada
  • Deixar o código o mais limpo para o robô do Google rastrear
  • Fazer com que o Google encontre rapidamente páginas do site
  • Manter as páginas mais importantes do site indexadas
  • Melhorar o tempo de carregamento das páginas
  • Carregar uma página em no máximo 3s para não perder a visita de um visitante

2. Conteúdo: atenda a necessidade das pessoas naquele momento

Quando o Googlebot rastreia a página de um site ele procura por diversos elementos que compõem aquele conteúdo. Palavras-chave em títulos, também ao longo do texto, descrição de imagens, se conta com vídeos na página ou outros recursos, se a leitura é agradável, entre outras coisas. E estamos falando de conteúdo, o que muitas pessoas insistem em ser apenas textual. Mas vídeos de Youtube e diversas conversas por áudios em formato de podcast também são formatos de conteúdos. Infográfico mais um.

Publicar textos otimizados e trabalhar o pilar de conteúdo é…

  • Qualificar o tráfego orgânico do seu site
  • Propor um conteúdo útil para quem busca para assim gerar compartilhamento social
  • Aumentar o tempo médio e também o número de páginas vistas do seu site
  • Atender positivamente uma expectativa de busca de um novo visitante

3. Autoridade: a construção da reputação de um site através de novos apontamentos de links

No passado, naturalmente um bom conteúdo era o suficiente para gerar novos apontamentos de links. Isso é ser visto como uma fonte confiável sobre aquele assunto. Isso ainda acontece nos dias de hoje, mas de forma mais discreta. É muito mais comum ganhar compartilhamentos dentro de uma rede social do que ter outros sites linkando para o seu conteúdo. Mas isso ainda acontece. E com tantas atualizações do Google até é bom que tenhamos controle destes sites externos que estão linkando para o nosso.

Criar estratégias que aumentam a autoridade de um site é…

  • Subir posições de rankings para determinada palavra-chave
  • Garantir que a navegação do usuário não esteja com links quebrados
  • Garantir a navegação do robô rastreando o site
  • Aumentar a taxa de indexação
  • Distribuir/concentrar as forças das páginas

4. Experiência do Usuário: navegação e usabilidade do site

De todos os pilares podemos classificar este como sendo um curinga. Porque tanto em tecnologia, conteúdo e a construção de links conseguimos gerar experiências. <filosofando> Sejam elas boas ou ruins. Assim como na vida. </filosofando>

Trabalhar a qualidade do tráfego atendendo uma boa experiência é…

  • Melhorar a usabilidade do seu site
  • Garantir que novos visitantes encontrem o que estão buscando
  • Aprender com o comportamento dos usuários para no futuro tomar melhores decisões
  • Focar também no melhor para o seu negócio
  • Pensar estrategicamente na jornada do consumidor

Vamos juntos acreditar nos Micro-Momentos

Fonte: Think With Google

Fonte: Think With Google

Há pouco mais de um ano o Google publicou este estudo dividindo as buscas em 4 grandes momentos: saber, ir, fazer e comprar. Vale muito a pena acessar a página e dar uma lida no material.

O robô do Googlebot também gosta de…

Fonte: Google Blog

Fonte: Google Blog

  • Conteúdo fresco: seja criativo e torne-se uma fonte para os seus visitantes.
  • Layout Mobile-Friendly: ninguém gosta de ficar dando zoom em tela de celular, design responsivo para cada tipo de dispositivo é muito melhor.
  • Que as diretrizes de qualidade sejam seguidas: para rankear nas ferramenta existem regras e por favor as siga rigorosamente.

O robô do Googlebot NÃO CURTE MUITO…

Fonte: Google Blog

Fonte: Google Blog

  • Conteúdo curto: aqueles textos de 300 a 500 palavras, sem contexto para a página.
  • Conteúdo duplicado: evite ao máximo de replicar conteúdos no seu e em outros sites.
  • Qualquer tipo de manipulação: não faça manipulações em nenhum dos pilares, se o fizer estará em um caminho sem volta e por sua conta em risco.

Fique atento a cada atualização no algoritmo do Google

Fonte: Bulksmsbyeps.com

Fonte: Bulksmsbyeps.com

Um projeto de SEO o time sempre precisa estar atento as grandes atualizações do Google. É necessário se atualizar e ler sempre a respeito de novidades para evitar problemas de performance em um futuro próximo. Dá uma olhada no que o Google já lançou no passado.

Google Update – Panda 4.1

Afeta qual pilar de SEO? Conteúdo.
Quando foi lançado? Em maio de 2010.
O que ele faz? Ataca conteúdos duplicados, manipulações de conteúdos e blocos de textos desnecessários nas páginas.

Google Update – Hummingbird

Afeta qual pilar de SEO? Experiência.
Quando foi lançado? Em Agosto de 2013.
O que ele faz? A atualização visou uma melhoria considerável na semântica da busca. Buscou compreender e aperfeiçoar o sentido dela. Ex: laranja – diferenciar os resultados de busca entre “cor laranja” e “fruta laranja”.

Google Update – Pigeon

Afeta qual pilar de SEO? Não afeta um pilar específico, mas sim técnicas de SEO local.
Quando foi lançado? Em Julho de 2014.
O que ele faz? Com este update o Google passou a combater o excesso de manipulações para SEO local e a melhorar usabilidade do usuário para buscas a partir de dispositivos móveis.

Google Update – HTTPS/SSL

Afeta qual pilar de SEO? Tecnologia.
Quando foi lançado? Em Agosto de 2014.
O que ele faz? Depois de muita especulação a respeito do tema, o Google finalmente confirmou que o uso de HTTPS em url’s é mais um fator de rankeamento para a página.

Google Updates – mobile-friendly

Afeta qual pilar de SEO? Tecnologia e Experiência.
Quando foi lançado? Em Abril de 2015.
O que ele faz? Os rankings dos resultados de busca a partir de dispositivos móveis mudou. Sites com layout responsivo passaram a aparecer na frente de outros justamente por entregar uma melhor experiência para o futuro visitante deste site.

Google Updates – Penguin 4.0 (Real-Time)

Afeta qual pilar de SEO? Autoridade. (link building)
Quando foi lançado? Em Julho de 2016.
O que ele faz? Combate a linkagem considerada spammer entre sites.

Dúvidas sobre SEO e otimizações de site

Fonte: NetDna.net

Fonte: NetDna.net

Por que devo fazer SEO? No que ele ajudaria o meu site?

  1. Aumenta a visibilidade orgânica do site.
  2. Qualifica o tráfego do site.
  3. Aumenta a impressão de marca desse site.
  4. Melhora objetivos e métricas do site.
  5. Contribui significativamente no faturamento da empresa/site.
  6. Só ajuda com coisa boa, de verdade. Vai por mim.

Bacana. Mas quanto tempo levarei para visualizar os resultados de SEO?

Bom ponto. Bom, não existe uma média de dias para visualizar este retorno. O que posso adiantar é que o retorno aparece em médio prazo, entre 4 a 6 meses. Dentro deste período, publicando melhorias estratégias e constantes atualizações em seu site, visando os 4 pilares do SEO, você já conseguirá visualizar mudanças positivas no seu site. Não espere pagar por um serviço com retorno extraordinário em até 1 mês. Esquece, isso não acontece com SEO.

Legal. E qual métrica você me aconselha a medir em SEO?

Existem estágios de conquistas. Em primeiro momento, métricas de quantidade como visita. Você precisa visualizar que mais pessoas estão acessando o seu site antes de mais nada. Depois, passe a focar nas métricas de qualidade. Aumentando um pouco os acessos do site e também o número médio de páginas visitadas, talvez você já consiga qualificar esse tráfego e acompanhar alguns retornos. Mas as métricas que queremos chegar é a de aumento de receita ou geração de leads. Essas são as principais métricas que farão o seu negócio prosperar.

Interessante. Como juntos conseguiríamos acompanhar essas melhorias todas?

O Google, como empresa bacana que é, disponibiliza gratuitamente diversas ferramentas para acompanhar o seu site. Abaixo, algumas delas.

  • Google Analytics: monitora todas as interações do seu site. Muito usada para criação de relatórios de acompanhamento de projeto.
  • Search Console (ou Google Webmaster Tools): possibilita o controle de rankings, mapeamento de palavras-chave, de como o Google lê o seu site, além de diversas outras oportunidades de melhorias. Contribuiu muito para os pilares de tecnologia e conteúdo do SEO.
  • Google Trends: encontre as principais tendências de busca a respeito de uma palavra-chave, inclusive por região. Primeira ferramenta a ser utilizada por quem pensa escrever conteúdo otimizado.
  • Google Keyword Planner: visualize a estimativa da quantidade de pessoas buscando por aquela palavra-chave em um mês. Veja por dispositivos: desktop e mobile. Se no Google Trends você levanta as principais palavras-chave para trabalhar em um novo conteúdo, é com o Google Keyword Planner que você validar e selecionar essas palavras de fato.

O que é melhor fazer: Links Patrocinados ou SEO?

Ao utilizar links patrocinados você terá uma rápida resposta da audiência porque estará nas primeiras posições de resultados do Google. E precisará de uma verba para investir mensalmente nos seus anúncios. Esperamos por isso. Mas assim que você parar de investir na ferramenta, a performance acaba junto. E também esperamos por isso.

Ao implementar otimizações em seu site ele vai melhorá-lo como um todo e priorizar o rankeamento das principais páginas dele. O tempo se mostra um tanto mais lento para visualizar o retorno, porém depois de um tempo o site passará a conquistar uma certa autoridade. Ao fazer SEO você estará mais próximo da conversão natural das pessoas que visitam o seu site. Porque não serão simples anúncios de Google, você estará garantindo melhorias constantes em todos os pontos de contato entre site e possível novo cliente.

Mas, antes de mais nada, aqui não trata-se de uma questão de escolha. Um ou o outro. Sim ou não. Faça os dois porque ambos são importantes e podem muito bem se complementarem dentro de uma estratégia de comunicação digital integrada.

Uma última dúvida: o que esse tal de SEO não faz hein?

Excelente pergunta. Ele certamente não faz mágica, promessas e a garantia dos melhores rankings para a próxima semana. Isso de fato não tem como fazer. No universo de otimizações de site também não existe espaço para manipulação de qualquer tipo de recurso. Portanto, fuja de promessas garantidas de retorno para um curto prazo. Trabalhe com pessoas confiáveis e que buscam crescer junto com o seu negócio. Como nós da SONDABUNKER.

E aí, curtiu o textão? Compartilhe na sua rede social preferida!

Compartilhe no Facebook

Compartilhe no Twitter

Compartilhe no Linkedin

Se sentir necessidade de melhorias no seu site, entre em contato e solicite uma proposta! 😉

Como podemos ajudá-lo?
TreinamentosConsultoria em SEO/SEMAnálise de Landing Page

Seu nome: (obrigatório)

Seu e-mail: (obrigatório)

Whatsapp: (obrigatório)

Escreva a sua mensagem: (obrigatório)

 

Gaúcho, blogueiro e publicitário. Trabalha com internet desde 2008. Nos últimos anos se especializou em técnicas de otimização de sites e performance em SEO. Possui interesses nas áreas de conteúdo, link building e experiência do usuário. Escuta muito rock e assiste a várias séries de tv.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Go top